Quatro "ideias-chave"


Quatro conceitos fundamentais e solidários, quatro "ideias-chave", imediatamente nos levam ao núcleo da espiritualidade hindu: elas são o karman, a maya, o nirvana e o Yoga. Uma história coerente do pensamento hindu pode ser escrita com base em qualquer um desses conceitos fundamentais: necessariamente seremos forçados a falar dos outros três. Em termos de filosofia ocidental, diremos que desde os tempos pós-védicos, a Índia tentou compreender acima de tudo:

1) a lei da causalidade universal, que une o homem ao cosmos e o condena a transmigrar indefinidamente; é a lei do karman;

2) o processo misterioso que engendra e sustenta o Cosmos e que, ao fazê-lo, possibilita o "eterno retorno" das existências: é a maya, a ilusão cósmica, sustentada (e o que é pior: valorizada) pelo homem ao mesmo tempo cego pela ignorância (avidya);

3) a realidade absoluta "situada" em algum lugar, além da ilusão cósmica criada pela maya e a experiência humana condicionada pelo karman; o Ser puro, o Absoluto, independentemente do nome que lhe seja dado:

o Ser (atman), Brahman, o incondicionado, o transcendente, o imortal, o indestrutível, o nirvana, etc .;

4) finalmente, os meios para alcançar o Ser, as técnicas adequadas para adquirir a liberação (moksa, mukti): esta soma de meios constitui o próprio Yoga em essência.


-Fonte: Yoga imortalidade e liberdade, Mircea Eliade

-Arte: Jyoti or Light, Ajit Mookerjee